sexta-feira, 15 de novembro de 2013

EQUÍVOCOS

Não se trata de pessimismo ou jogada de praga, mandiga  etc. quando afirmo que a inflação não retornará mais a meta de 4,5% que, por sinal, é alta, a não ser por recessão. Não falo por torcer contra, é verdade que a grande maioria da população não se ocupa desse problema, prefere ver as coisas acontecerem nesse sentido e acreditar na sorte. No início do ano de 2011 eu escrevi Engessamento e disse que o Lula iria deixar o país engessado, isto é, sem condições de crescer, numa situação de se ficar o bicho come e se correr o bicho pega, escrevi também Sem Saída, tudo sobre a armadilha do otimismo sem ação de um governo que acreditava que a esperteza regularia a inércia. Mas porque tanta segurança? Acontece que este governo tem a eficácia de tornar a nação surda quando se toca em assuntos que lhe incomoda, e alardeia das ações que a lógica leva parecer eficientes, dessa forma, o governo cumpri seu objetivo principal que é manter uma popularidade sempre em alta. Só mesmo com muita atenção se ouvi falar que desde o início da gestão petista não há investimentos em infraestrutura em montantes mínimos necessários, sem isso estimular o consumo pode ocorrer riscos inflacionários, e foi exatamente o que o Lula fez gerando uma defasagem que o governo atual ampliou e para regular seria necessário aplicar algo em torno de R$ 1 trilhão em um ano com gasto em investimentos para colocar o país no rumo do crescimento sustentável.  Impossível, montante e tempo que o governo jamais poderá realizar, a saída foi buscar a participação do capital privado com a retomada das privatizações, mas como ter sucesso nessa  investida se os gestores petistas não mediam esforços para piorar o ambiente de negócios do país e assim minar a competitividade. Jogar com a inocência da população os petistas não tiveram probidade, e nem tomaram consciências entre grosserias e versões inescrupulosas como fez a presidente Dilma numa cerimônia com a presença  do governador paulista, Geraldo Alckmin: “A gente tinha de pedir autorização para investir. Por isso foi tão bom, né, governador, a gente ter pagado a dívida do Fundo Monetário, que não supervisiona mais nossas contas.” 

Alckmin é um cara polido, pelo menos engole sapo para demonstrar porque poderia muito bem dar a merecida resposta em vez de ficar calado, também pela condição de governador que sempre fica oprimido perante ao governo federal em decorrência da liberação de verbas, mas seria algo dessa natureza que deveria ser dito:  O FMI nunca proibiu o Brasil de investir, o fundo em certos momentos exigia que o país fizesse austeridade fiscal, era necessário na época, e quando há necessidade desse procedimento o campo fica avesso a investimentos, assim como, também, fomos aconselhados desde o regime militar que o governo iniciasse um processo de privatização que foi protelado até acontecer o estouro da inflação nos anos oitenta que se prolongou  até a primeira metade dos anos noventa, ação que seu governo resolveu deixar de criticar agora forçado pelas circunstâncias e, retoma por medo de uma nova estourada inflacionária em suas mãos, o que prova que língua solta não significa produtividade. Nos pagamos sim o FMI, mas não foi ação de um único governo como insinua o seu partido, pois este evento teve início em 1983. O governo do PT somente concluiu. Depois de resolvido o problema da instabilidade monetária e a organização das Contas Públicas, aí sim seria o momento do país executar investimentos, mas não fizeram e não foi por proibição do Fundo Monetário Internacional, a consequência é atual pressão inflacionária que volta a inibir o crescimento da nossa economia e a incerteza que nos ronda. 

Abaixo o cronograma de desembolso de pagamento do FMI


quarta-feira, 13 de novembro de 2013

GERAR MISÉRIA PARA DEPOIS REMEDIAR

Miriam Leitão escreveu num artigo: “O Brasil não está ficando burro”, uma sociedade que chegou ao ponto crítico de violência, e não se dá conta da gravidade, ameaçada de perder oportunidades de desenvolvimento por ter trocado o certo pelo duvidoso, isto não é inteligência, se não, então não cabe essa afirmação, é fruto do desconhecimento, portanto, está ficando pior, essa é a condição. O Brasil não tem discussão construtiva, resume-se ao discurso do politicamente correto que normalmente é constituído de falsos consensos e dessa forma assistimos outros países assumirem a nossa dianteira no desenvolvimento econômico, e quem alcança sucesso como Chile, Coréia do Sul não nos servem de exemplo, não os imitamos, viramos as costas e os olhares dos governantes, movimentos sociais se voltam para países fracassados, por isso o Ministério da Saúde já está autorizando a reciclar material hospitalar como acontece na "melhor medicina do mundo" Cuba.

Mais adiante fala: “O PT tem defeitos que ficaram mais evidentes depois de dez anos de poder, mas adotou políticas sociais que ajudam o país a atenuar velhas perversidades”. O Brasil ainda não se deu conta que a maior perversidade é errar na condução da política econômica, é essa a razão da existência de legiões de miseráveis no país. Antes de Getúlio Vargas o país gerava miserável pela falta de ação dos governantes, afora Campos Sales por ter organizado as contas publicas. Getúlio Vargas com suas reformas erradas ampliou a miséria, e os militares seguindo a lógica getulista deixaram o país numa situação de penúria. O PT faz pior repete erros, e só se vira para alguma ação correta por forças das circunstancias, como aconteceu com a privatização mal feita do campo de Libra.

Continua mais adiante: “Um dos grandes ganhos do governo do Partido dos Trabalhadores foi mirar no ataque à pobreza e à pobreza extrema”. O ganho maior foi para o PT, ganhou muito, certamente a única razão de ter permanecido no poder de 2007 pra cá, transformando o Bolsa Escola no maior programa de compra de votos, alterando o nome para Bolsa Família e incutindo na população com a cumplicidade da mídia que seu inicio fora na gestão de Lula. Há de se procurar um legado para o governo Lula, e nem esse é dele porque a ampliação excessiva era desnecessária, aí onde reside o erro do programa e as consequências desastrosas nas Contas Públicas.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

PRIVATIZAR OU NÃO PRIVATIZAR?

Quantas incúrias a Dilma cometeu na vida?  Como gestora desde que assumiu o Ministério de Minas e energia? Inúmeras, e poucas vozes se ouviram tecendo criticas ou repudio. No momento que vai construir algo de bom para o país os protestos se levantam. A discussão é necessária neste momento, para questionar a qualidade da privatização da reserva petrolífera de Libra, e o caráter da presidente, mas a privatização ou concessão dessa reserva? Pior será é não fazê-la.

A qualidade da privatização em decorrência de que, bom negócio não se faz quando uma parte está financeiramente assolada, é o caso da Petrobras que durante esse processo de devastação nunca alguém protestou, parecia que a Petrobras era imune das consequências de maus negócios.


No que diz respeito ao caráter da presidente podemos avaliar vendo os vídeos do youtube do período eleitoral quando a candidata Dilma foi à exaustão para criticar os tucanos e atingir o adversário, dizendo que era um crime privatizar o Pré-sal. Vejam o vídeo.


É oportuno dizer que nem sempre vale a pena fazer o diabo para se ganhar uma eleição, mentir, enganar, manipular a inocência de uma população é no mínimo revoltante. 

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

INTENTONA DO SÉCULO XXI

A queda da Muralha de Berlim, a falência da Rússia nos anos oitenta e estado crítico de miséria que atingiu os chineses na década de setenta expôs a derrocada do regime comunista, mas os intelectuais na sua quase totalidade, principalmente no Brasil, não se deram por vencidos refugiaram no socialismo, isto é, não se proclamaram de comunistas e sim de socialistas, demonizaram a terminologia “direita” como inimiga do correto, passaram a esconder os males do regime comunista, os crimes bárbaros dos regimes comunistas  e passaram a exibir as falhas do capitalismo, sem, no entanto, mostrar a vantagens, influenciaram exasperadamente nas escolas de ensino médio e universidades, preparam gerações pró-socialistas à espera do momento da  ressurreição e tudo nos leva a crer que no Brasil chegamos a essa ocasião.


Num país em que 70% da população é dopada pela ablepsia política, 10% são ferrenhos defensores da causa e conseguem fazer bastante barulho, sobra pouco que se ancoram no comodismo, o campo torna-se fértil para a nova intentona.  Baseado em que posso falar isso?  O governo importa médico de Cuba e no pacote importa o regime, pouca gente se dá conta da gravidade. Não me acusem de ser contra a colocação de médicos em lugares distantes dos grandes centros, não estou criticando a importação de médicos e sim do vexame do apoio ao regime criminoso.  A população sente a degradação do Legislativo e Judiciário, mas não percebem que a influência sinistra é do Executivo.  Dilma cancela a viagem para os EUA por vagas denuncias de espionagens americanas, bom eleitoralmente para Dilma e ruim para o Brasil e tudo isso acontece porque os 70% não possuem percepção. Outrora, os EUA foram o nosso maior cliente e nos últimos 10 anos perdemos o mercado americano, para o mínimo de sensatez seria bom recuperar, mas o interesse é do Brasil não é da presidente e nem do PT. 

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

PERSONA NON GRATA

A grande polêmica em São Luis sobre as grosseiras expressões do advogado paranaense Gustavo Janelli Ferreira, acusado de racismo, xenofobia.

Como maranhense aproveito a oportunidade para fazer mea-culpa. Acontece que numa relação de Estados dependes  da União que circulou na internet no ano passado o Maranhão é o Estado que possui o maior déficit, isto é, recebe mais recurso do que envia para Brasília, seguido por todos os demais Estados nordestinos.

O pior é que as autoridades maranhenses não se dão conta dessa situação e acreditam em normalidade, apesar do Estado apresentar condições de mudanças  a curto prazo.

Em 2002 eu li na Folha de São Paulo que São Luis seria o maior pólo siderúrgico do Brasil, onze anos depois nada aconteceu, principalmente por acomodação, inoperância de gestores, burocracia e etc.

Existem na cidade grupos de pessoas que se unem em formação de “Movimentos Sociais” constituídos por minorias da população, mas faz muito barulho, sempre imbuídos em lógicas socialistas que adoram agredir o capitalismo, esses movimentos sempre criam empecilho para alguma transformação no âmbito de desenvolvimento  econômico local.

Quando a Alumar foi implantada  em São Luís (década de 80)só aconteceu porque era em pleno regime militar e uma grande confusão formado contra o Projeto foi asfixiada no peso da ditadura, hoje seria impossível, como aconteceu com as tentativas de construir siderúrgicas sendo frustradas tanto pela burocracia de licenças ambientais como o próprio desinteresse do governo estadual apoiado em “movimentos sociais”, e nada das ameaças  contra ALUMAR, como a nuvem de fumaça de pó que tornaria inóspita a sobrevivência na ilha se confirmou.

Os “movimentos sociais” adoram a filantropia para isso carecem de necessitados e não se dão conta que a miséria é produto de erros sucessivos na política econômica do país e da região, não movem uma palha para entenderem desse processo porque prevalece um discurso velho e conhecido.

A natureza deu de presente para a cidade São Luís um calado marítimo que chega a 23m de profundidade, único até hoje no Brasil, mas o maranhense não sabe aproveitar as oportunidades, parece que deu asas a quem não sabe voar. São Luis cresce em decorrência desse fenômeno natural, mas o poder público municipal não se dá conta das potencialidades e continuamente tem uma administração acanhada, raramente constrói um km de avenida e quando o Estado vai fazer tenta prejudicar, quando resolvido o impasse com a prefeitura entra os movimentos sócias, ministério público, como liminares que embargam as obras, acarretando encarecimento e atraso na conclusão, ainda tem a barganha política do executor da obra que protela a conclusão para proximidades do período eleitoral. Fica difícil uma cidade sem estrutura desenvolver.  O transito é caótico e a prefeitura não tem iniciativas nem de tentar remediar com alternativas.
No campo do turismo que o Estado possui um grande potencial, o pouco que o Estado faz a prefeitura não acrescenta, não tem ações de despoluição de praias e etc. Divulgam nacionalmente que as praias do município de São Luis estão poluídas, mas não apresentam opções que seriam as praias de outros municípios dentro da ilha, principalmente do município da Raposa com muitos quilômetros de praias selvagens, que necessitam de infra-estrutura para acesso. São iniciativas exequíveis.


Esta é a rua Casemiro Junior que no mapa consta como avenida, é uma garganta, um verdadeiro chafurdo de trafego por ser mão dupla, a prefeitura com um pouco de interesse poderia concluir uma rua paralela Cônego Tavares para desafogar, mas há 3 meses esquecida sem conclusão. Entra e saí prefeito a cidade continua campeã de buracos





A reação do comodismo de quem teve a ferida magoada é a extrema indignação ao ponto  da Câmara Municipal fazer monção de repúdio ou titulo de “persona non grata”. Por que não sermos barristas de forma mais produtiva, lutar contra tudo que nos distancie dessa condição. Lutar contra os vários equivocados consensos formados que ronda na região, contra ideologias ultrapassadas, contra os maus políticos e principalmente cobrar ações e ter confiança porque com mudanças profundas seremos um orgulho da nação.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

A MASCARA QUE NUNCA CAI


O Profissão Repórter desta terça mostrará a realidade caótica da saúde pública em diversas regiões do país, parece até que a Globo está criticando o governo de quem ela tanto depende financeiramente, até poderia ser se houvesse imprensa livre no Brasil, na verdade trata-se de uma justificativa de trazer médicos de Cuba. Embora venham médicos de outros países mas o problema é Cuba, exatamente por que de lá os profissionais não chegam como seres humanos livres e o país que queremos é com plena liberdade para todos que trabalham nele, que a legislação trabalhista seja única e cumprida, que não sejamos cúmplices dos crimes dos genocidas de Cuba. Esse tipo de importação de médicos foi feito pela Venezuela nas condições de robôs humanos que gerou a fuga de alguns médicos para os EUA e atualmente estão processando Cuba e Venezuela por tratamento semelhante à escravidão, para que isso não se repita os criminosos de Cuba são acusados de tornar refém, em seu território, familiares dos médicos destinados para o Brasil, aceitar tais situações a presidente está tornando o Brasil conluiado de países criminosos, os profissionais que são obrigados a sorrirem e fingir felicidades não receberão os proventos, que serão destinados para o governo de Cuba. Fidel ficará com 70% e os “escravos” com o restante.

O país necessita ouvir da presidente que nada disso é verdade, que os cubanos chegarão como pessoas livres, senão é trafego de pessoas e em pleno século XXI, quem é capaz de fazer isso e capaz de fazer até mesmo o diabo como a própria Dilma já falou que faz para ganhar uma eleição e a nossa Nação não pode regredir. Já é tempo da população perceber que, a presidente, não governa conforme os anseios democráticos do nosso país, e sim pela mórbida ideologia pessoal. O Brasil é uma nação livre para todos.
Por outro lado fica a suspeita de que parte deste dinheiro possa retornar em forma de propina para o PT e etc., com históricos de mensalão e acusações frequentes, que nunca são investigados, de propinodutos neste governo e no seu partido é muito provável isso acontecer.

O governo aparentemente fez tudo direitinho fez o chamamento de médicos brasileiros que não preencheram as vagas e depois justificar a importação de médicos, mas não providenciou o Plano de Cargos e Salários exigência da classe para garantir uma carreira digna como os demais profissionais do serviço público. Não é falta de dinheiro pelo menos não é o que se pode imaginar quando se assiste a Soberana distribuir U$ bilhões entre ditaduras espalhadas pelos continentes, americano e africano, inclusive Cuba que já recebeu mais de U$ dois bilhões. Porque não fazer um saneamento no Bolsa Família, é porque perde voto? Lá pelo menos o governo economizaria uns R$ cinco bilhões por ano. Porque não reduzir em pelo menos 60% os gastos com o Congresso, tornando-o compatível a gastos de países mais desenvolvidos. Nada é feito exatamente para beneficiar o regime que outrora Dilma pegou em armas para implantar no Brasil. Essa mascara só é transparente para uma minoria do eleitorado.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

A VERDADEIRA FACE DA ESQUERDA


Não adianta a indignação popular, A Soberana escuda-se na ignorância,  no controle da impren$a de massa, na distribuição de dinheiro e no comodismo de boa parte da população e silenciosamente vai fazendo aquilo que ela tanto lutou nos quadros de grupos terroristas, em busca de um governo semelhante ao de Cuba onde a população é encabrestada numa ditadura infeliz e sem oportunidades. A cada gesto da guerrilheira justifica o golpe militar de 64.

Nunca fui contra o governo trazer médicos de Cuba, mas a forma como esta sendo feita é abominável, fere a nossa legislação trabalhista, a concorrência torna desleal aos profissionais locais, é um retrocesso cruel e infeliz, à volta da escravidão, embora com outras características, mas só aplicável com quem adora esse tipo de domínio humano.

Como imaginar que uma pessoa possa trabalhar o mês inteiro e quem recebe o dinheiro não é o trabalhador, e sim o governo do país de origem do profissional que fica com 70%. Para muita gente de “esquerda” isso é natural porque se enquadra no tipo de “democracia” que eles defendem. Ah! Se ela pudessem aplicar aqui no Brasil com os brasileiros. A justiça trabalhista não permite, também não pode permitir que nenhum cidadão deva ser escravizado em solo brasileiro. Cadê os Direitos Humanos sempre aliados do PT, esse mesmo Direitos Humanos que condena o menor deslize nos EUA, mas que apóia as aberrações em países de ditadura de esquerda. A justiça brasileira não pode dar esse aval, caso contrário é porque “está tudo dominado” com diz Boris Casoy, e nossa democracia assim como a economia continuam em processo de deterioração.

sábado, 17 de agosto de 2013

AFINAL! O QUE É DEMOCRACIA?


Quando estourou o golpe militar de 64 eu cursava o segundo ano do ginásio, assim como era chamado naquela época. Não se falava por parte do governo em ditadura, para eles, era um tipo de democracia diferenciada, pois era garantido o direito de ir e vir, mas não se podia criticar o regime em público que seria preso. Os parlamentares não podiam ir a Tribuna e criticar o regime que seriam cassados, como também, os jornais e revistas eram censurados e normalmente ficavam sem assunto para publicar e para manter o regime promoveram crimes em torno de 424 assassinatos, no entanto, se fazia criticas isoladas sem problemas porque não havia infiltração de espiões entre cidadãos comuns para escutar comentários populares e levar as autoridades como acontece naquelas ditaduras mais radicais e sangrentas que tem admiração de nossa presidente e está sempre procurando ajudá-los, inclusive acusávamos, sempre, o governo de corrupto, não havia eleições para presidente da república também não se ensinava nas escolas o que era democracia, tudo que tenho sobre o assunto é observando e fazendo uma analogia com os EUA que pratica uma das mais saudáveis democracias do mundo.

Veio o fim do regime militar, eleição para presidente da república e restabelecida a democracia, mas as escolas continuaram sem ensinar o que é democracia. Agora dizem os detentores do poder que vivemos em uma democracia plena, restabelecida e pla pla. Acontece que o direito de ir e vir está cada vez mais difícil porque cresce, a cada ano, a possibilidade do  cidadão ser assassinado em qualquer trajeto, e é espantosa a frieza como as autoridades tratam do assunto, normalmente as vitimas são pessoas comuns e por falta de pressão popular é sempre tratado como natural. Hoje um parlamentar pode subir na Tribuna e criticar bastante o executivo, mas logo sofre investigações e a Polícia Federal, órgão subordinado ao executivo, solta informações comprometedoras e em pouco tempo o parlamentar é cassado pela imensa base aliada do governo, enquanto os parlamentares da situação são julgados por crime de corrupção, cassados, mas assumem ou permanecem como parlamentares como se fossem vítimas da Justiça. Atualmente o governo não possui agentes repressores nas ruas matando rebeldes contra o regime, mas gasta uma fortuna para abafar os freqüentes escândalos de corrupção que matam milhares de pessoas todos os anos por falta de atendimento nos hospitais que se fossem contabilizados seriam astronomicamente superiores aos crimes do regime militar. A democracia brasileira dos tempos atuais permite fazer movimento, protestar e executar quebra quebra, verdadeiras badernas pelos descontentes do sistema, contra a corrupção e atendimento público de qualidade com organizadores ligado e financiados do governo que só acertam as portas dos adversários do PT, embora Fora do Eixo se declare independente, como Sérgio Cabral porque o PT quer o Lindberg Farias como próximo governador do Rio de Janeiro e do Alckmin onde o PT quer eleger o atual ministro da saúde no Estado de São Paulo, claro, tudo com a cumplicidade da grande imprensa brasileira financeiramente dependente do suor do contribuinte. Nos anos de ferro, isoladamente, falava-se muito da corrupção no governo, mas não se via a ostentação de tanto enriquecimento ou filho de presidente enriquecer enquanto o pai era presidente, Mario Andreazza  ministro dos transporte  como um Dirceu do sistema militar morreu na simplicidade, a filha de Geisel vive em apartamento simples.

Afinal! O que é democracia? Tenho certeza que, o que está acontecendo no Brasil não seja democracia, pode até ser uma democracia diferenciada como acontecia na ditadura militar, embora com outras feições, pois o nosso país foge muito das características de uma verdadeira democracia como nos EUA onde os poderes são independentes, onde o presidente da república não tem chance de se valer de nomeações para interferir nos demais poderes. Onde uma investigação contra o governo sempre vai até o fim e, não só, enquanto derruba um adversário com vazamentos de informações direcionadas. Eu escrevo criticando o governo e sempre sonhei com a população nas ruas fazendo manifestações, sem vandalismo, com convicção e pontuando com clareza o que queremos corrigir ou investigar. Não adianta fazer movimento FORA ALCKMIN ou FORA CABRAL sem fazer FORA DILMA. Dilma tem um leque de motivos. Alckmin é santo comparando com os petistas. Só nesta semana dois escândalos de corrupção contra o PT, que esbarram na presidente, foram publicadas um na revista Época outro na revista Veja a odiada dos petistas, nada será apurado ou não passará de promessa e a imprensa de massa não deu importância (aliada), o tempo se incumbirá de jogá-las no esquecimento, assim como o vento varre o mal cheiro afastará do Palácio mais dois desagradáveis odores.
Eles dizem que: “democracia é o poder que emana do povo”. Mas o povo tem o direito de saber o que é democracia, de lhe ser ensinado nas escolas por professores que não vislumbrem o socialismo porque o socialismo deles no fundo é o comunismo disfarçado, senão o povo permanecerá vitima de sua própria ignorância.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

A REPÚBLICA DO PT


A ministra Luciana Lóssio do Tribunal superior Eleitoral se declarou impedidade de relatar o processo de cassação da governadora Roseana Sarney, por ter sido advogada da ré antes de assumir o cargo de ministra. O ministro Dias Toffili não teve o mesmo procedimento no momento do julgamento do mensalão e durante todo julgamento o ministro foi sempre favorável aos réus do PT. Ele pôde ter sido justo, mas a sociedade brasileira não acreditou  que o interesse nacional foi defendido e que seus votos foram corretos, ficou no ar a sensação de tentativa de favorecimento aos condenados do PT, por ter sido advogado do partido e de José Dirceu. O mesmo ocorreu com o ministro Ricardo Lewandowski que sofreu hostilização em público pela forma explicita de defender os mensaleios petistas durante o julgamento.

Numa democracia saudável  a sociedade tem o direito de conviver numa tranquila confiança das decisões da casa máxima da justiça, e o poder público tem o dever de agir de forma que a população exerça esse direito.

A constituição brasileira delega ao presidente da república o poder de nomeação dos ministros do Supremo, mas se espera o mínimo de ética no momento dessas nomeações escolhendo profissionais comprometidos na defesa dos interesses nacionais, defesa da Constituição e da manutenção da democracia, mas não é isso que vem acontecendo, há um odor de que as nomeações estão direcionadas a profissionais que estejam alinhados em defesa, prioritariamente, dos interesses escursos do PT,  partido que governa recheado de denuncias de corrupções que nunca tem um desfecho que uma república com o mínimo de seriedade poderia oferecer aos eleitores, aí surgem noticias como essa: “Lewandowski como presidente do TSE, interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente Dilma. E não era essa sua função!!!”
Como as nomeações são legais é dado como o suficiente, o bastante, a sociedade que se dane, que sofra calada com as maléficas consequências da corrupção, onde é extorquida na cobrança de pesados impostos e serviços públicos de péssima qualidade. Os senhores do poder não sentem o peso do constrangimento, “a cara não treme”, a população mergulhada em uma inocência sem procedências assiste silenciosamente, no entanto, na vida cotidiana querem que policiais militares com míseros salários de subsistência, lançados em tarefas de altíssima periculosidade, tenham um comportamento ético e profissional.  

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

FALSOS CONSENSOS


“Trabalho infantil! Quando ele vai acabar em nosso país?” Com esse questionamento Gloria Maria anuncia o Globo Repórter dessa sexta feira, e abre o programa com o mesmo questionamento de outra forma.  “Por que, afinal, nunca termina em nosso país?” Inocentes! Porque a resposta é fácil, o percurso parece ser impossível no Brasil. Basta exercitar a percepção e observar países que conseguem sucesso e fazer uma analogia e aceitar a verdade, uma verdade que ninguém quer saber, pelo menos dois consensos desabam: a lei não resolve problema econômico e, nem, distribuição de dinheiro resolve o problema da miséria, silenciosamente agrava. Portanto, não é difícil concluir que a solução só acontece com o Desenvolvimento Econômico, impossível para um país enrolado pela burocracia, corrupção, privilégios dos poderosos, manipulações e falta de  consciência dos políticos, e superlotado de falsos consensos que só atrapalham.

Nada mais cruel do que os sucessivos erros na política econômica no Brasil, cuja consequência é a geração de legiões de miseráveis, o mais grave é que neste país os erros se repetem a agilidade dos políticos de envolverem a população numa constante manipulação sem o menor escrúpulo de se aproveitarem da inocência de pessoas simples que não tiveram educação ou se tiveram foi de péssima qualidade para, dessa forma, se perpetuarem no Poder. Não importa o sucesso do país, vale conseguir boas justificativas, enganar, enganar, sempre, e assim ocultar as negligências dos gestores e ganhar às eleições.

terça-feira, 25 de junho de 2013

AÇÕES PRÁTICAS DE COMBATE À CORRUPÇÃO


 
Jogar com a paciência e a inocência da população sempre foi o forte do PT desde o seu princípio e, ao assumir o Poder, se aliou a um exitoso trabalho de marketing. O marketing não substitui o bem ele apenas maquia o ruim, não muda a realidade.
Nesse sentido a presidente tenta, através de um pronunciamento, conduzir uma situação que transbordou se fazendo de desentendida.
A população pede o combate à corrupção porque percebe que as melhorias (saúde, educação e segurança) acontecem nas publicidades do governo. A população sabe que sem um combate à corrupção, e uma melhoria na gestão, não adianta ampliar recursos financeiros nesses setores.
A iniciativa não é mexer na Constituição como quer a presidente. Queremos sentir segurança de que o combate a corrupção está além da exposição de intenções, a clareza inexistente dessas prioridades não permite credibilidade nesse governo. Ações mais concretas como poderemos enumerar:
-          Evitar impunidade com a prisão dos condenados do mensalão, legalmente a presidente não teria interferência direta, mas indiretamente existe no ar um odor de manipulação para anular o julgamento da ação penal 470.
-          Judiciário independente com a mudança na forma de se nomear ministros do Supremo, dos Tribunais Superiores, Desembargadores e dos Tribunais de Contas tanto da União como dos Estados, evitar possíveis confusões entre interesses partidários e da Nação.
-          Investigações sobre denuncia de políticos e gestores do andar de cima que fazem tráfego de influência e recebem a propina com o nome de consultoria.
-          Investigações denuncias de trafego de influência do ex-presidente Lula com empreiteiras do governo e sendo compensado com caríssimas palestras.
-          Esclarecimento sobre o caso banco Panamericano que o governo comprou quebrado, saneou e depois devolveu para Silvio Santos.
-          Investigação da DELTA que, durante a CPI do Cachoeira, houve grande suspeita de financiar não só o Demóstenes Torres como quase todo políticos, mas a base do governo se moveu para que não acontecesse as devidas ações investigatórias.
-          CPI da Petrobras para esclarecimento de muitas irregularidade, trafego de influencias na gestão de Sergio e aquisição por mais de U$ 1 bilhão uma refinaria que um grupo belga havia comprado como sucata por U$ 32 milhões. Tanto era sucata que a Petrobras nunca conseguiu refinar petróleo.
-          Investigação sobre as acusações de enriquecimento ilícito do filho de Lula.
-          Investigações do caso Daniel Dantas, que o PT acusava de fazer maracutaias no governo FHC, mas que silenciou na gestão petista.
-          A presidente não se posiciona contra as PECs 33 e 37, significa que não tem interesse de coibir a impunidade.
-          Investigações da participação do ex-presidente Lula como mentor intelectual do mensalão.
-          Investigações do caso Rosemary. D. Pedro I do século XXI cria um cargo para abrigar uma mulher acusada de ser amante, o pandemônio público/privado.     
-          Explicações; por que tantas obras inacabadas? Como a transposição do rio São Francisco ou obras mal acabadas como a ferrovia Norte-Sul.
 
  -  A omissão em mudar as leis que favorecem a impunidade de marginais que cotidianamente ceifa a vida de centenas de brasileiro com se estivéssemos em plena guerra. A alteração da maioridade penal para 16 anos onde 92% da população deseja, (eu já defendo para 14 anos) mas que por questões ideológicas absurdas torna a presidente insensível.

domingo, 28 de abril de 2013

PASSIVIDADE



O governo tem todo direito de manter as leis que estimulam a violência, mas tem o dever de abortar a escalada dessa fúria que vivenciamos nas grandes cidades brasileiras, diante do fracasso, as autoridades, perdem o direito sobre as suas concepções e opiniões pessoais ou ideológicas e são obrigados a agir, sob pena de serem consideradas omissas e irresponsáveis.

O grande drama da sociedade brasileira é o individualismo que gera comodismo nos assuntos de amplitude coletiva, dessa forma preferimos a comoção, e diante da falta de manifestações mais explicitas o governo acredita que está tudo bem, se omite, fica assistindo, como  se tivesse esse direito, passivamente à criminalidade que não permite mais a serenidade do cidadão nem mesmo nos ambiente de trabalho ou em sua residência. Imaginem se  não estivéssemos em “pleno emprego” como diz o governo.


Quando falo em governo, neste caso, me refiro ao Executivo Federal e ao Congresso Nacional, o último uma instituição caríssima e ineficiente, que não se importa de reverenciar o Poder  detentor do cofre. Ambos responsáveis em fornecer aos Estados uma legislação mais severa para o combate da criminalidade. Acreditar que “de menor” tem direito a impunidade já é uma irresponsabilidade. Mudar essa condição é uma vontade da ampla maioria da população e das consequências extremas que estamos sofrendo.  Por outro lado o Executivo se mostra mais preocupado nos assassinatos do Regime Militar que nos assassinatos do cotidiano que, em números, três dias é o suficiente para ultrapassar as estatísticas dos crimes militares.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

CASUÍSMO



Uma discussão na Globo News em Pauta sobre a violência em São Paulo, Elisabete faz uma analise da violência na cidade, e duvidou da fala do governador do Estado Geraldo Alckmin de que a violência estaria com tendência de queda, e como a situação poderia influenciar negativamente na reeleição do governador, gerando uma oportunidade petista para uma possível vitoria. Pontual em New York disse que por lá a violência estava tomando a forma do Brasil, mas que a população votou em políticos que mudaram leis e a violência por lá diminuiu, e que o motivo da violência no Brasil ele não saberia dizer a razão. Eliane foi mais decisiva quando fez um relato da situação nas maiorias capitais que apresentam índices de violência superiores a São Paulo.

A democracia necessita de discussão sobre a problemática nacional e a violência é uma que, há muito tempo, já ultrapassou do suportável, esses programas formam ambientes propícios a esses temas, mas vamos ser mais objetivos.

Dizer que desconhece a razão da violência no Brasil é uma omissão para não ser mais tosco. Ele falou o que ocorreu nos EUA – mudaram as leis.

Perder a oportunidade de alertar a sociedade que nossa violência está apoiado na impunidade,  pela dificuldade de condenar, por isso no Brasil o crime, na maioria das vezes, compensa.

Porque omitir que o problema se alastra a todas capitais, Teresina que até pouco tempo era uma cidade pacata e hoje é muito violenta. São Luis com 10% da população de São Paulo acontece em números absolutos 2/3 o número de assassinatos que ocorre em São Paulo, sem falar nas capitais que Eliane citou: Salvador, Goiânia, Fortaleza, Recife, Belém, etc.

A violência generalizada no país inteiro é prova de que o problema não está com os governadores. Por que não tocar na raiz da questão? Que é a falta de instrumentos legais  mais eficientes que faltam aos Estados. Permanece a história na boca popular; “a polícia prende e a justiça solta”. A justiça solta porque a lei permite. Por que não apontar o dedo para quem de fato se omite e, por outro lado, fica sorrindo na possibilidade de tirar proveitos eleitoreiros. São os autoritários inertes, que pelo comportamento são os responsáveis pela criminalidade neste país que já supera a 160 o número de crimes diários e como nada é feito se tornam irresponsáveis como autoridades. Defender a impunidade para menores de 18 anos é consentir ação criminosa dessa parte da população, e, ainda por cima, com o aval de uma mídia desqualificada, conseguem sucesso político da situação.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

SÓ PODIA SER DO NAZARENO!


A Casa é cada vez mais impopular, o mau cheiro exala, mas eles não se dão conta, fingem normalidade mas se o Congresso apodrece a culpa é do eleitorado, nenhum deles se nomearam, chegaram lá pela "vontade popular" dizem. No entanto, uma analise mais profunda a população é vitima da educação que propositadamente negam ou fornecem de forma a desestimular o cidadão de ter opinião objetiva, se torna presa fácil do jogo político, basta se observar como a maioria ganha a eleição, recorrendo a acordos tenebrosos a ilegalidade de caixa dois, e etc, enganado com distribuições de favores e migalhas a uma população pobre, de forma é que, quando chegam lá, acham que não devem satisfação a ninguém. Inocentes ,criam  leis para garantir impunidades à camaradagem, para engordar a conta bancária ou para se fortalecerem em propósitos que não são convenientes a população, é o caso da proposta que submete ao Congresso Nacional as decisões do STF quando julga a inconstitucionalidade de leis ou quando por inercia do Congresso e por demanda popular o STF se adianta e corrige omissões da Casa.  

CREDIBILIDADE


A presidente Dilma na sua imensa capacidade de subverter os fatos pela suas versões convenientes falou que o Brasil não sofre mais a falta de credibilidade como antigamente sofria em decorrência de uma dívida externa. O Brasil sofria de desconfiança ´porque tinha contas internas e externas em desordem, situação superada com o Plano Real. Ameaças são percebidas com o caminho contrario que estamos assistindo, aumento da dívida interna e deficit crescente nas contas externas.Vivenciamos o rumo da deterioração e o principio da perda de credibilidade.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

SE DEUS QUISER...


 
Alguns petistas me acusam de torcer contra o governo do PT, e contra a presidente. Não se trata de torcer porque na economia isso nunca surte efeito, mas é a percepção das ações governamentais que forma a minha opinião.

Recentemente uma pessoa muito ligado a minha pessoa, inscreveu-se para um concurso do Banco do Brasil, nunca pegou  em nada para estudar, então, eu deveria ficar dizendo se Deus quiser ele vai passar, porque Deus é grande. Não passou, até por uma questão de justiça, os que estudaram tiveram classificação, assim é o governo. Desde a gestão do ex-presidente Lula se observava que as leis da economia eram deixadas de lado, e prevalecia a transparência da bondade.

A Dilma toma medidas paliativas que se limitam a tocar um cavalo cansado a dar mais um passo, e impressionar a opinião popular auxiliada pela mídia e um sofisticado trabalho de marketing que sustentamos, aí temos que repetir o texto: agora vai dar certo se Deus quiser, porque Deus é grande, Deus é brasileiro.

Lá de cima Deus se defende: “Não é que eu queira ou não queira. Tem países que fizeram tudo certo para conseguir bons resultados (Coréia do Sul, Japão, Chile, etc.). Tem países que se esforçam para fazerem ações corretas para chegar ao sucesso (China, Índia, África do Sul, Colômbia, Peru, Rússia, etc.). Enquanto o Brasil que foi privilegiado com abundantes recursos naturais, e livre da área de conflitos sísmicos, ultimamente vem fazendo tudo errado, só na base da enganação, uma arte que faz o sucesso dos governos petistas. Eu não posso interferir, até por questões de justiça, no processo ignorando as dissimulações, e fazer brotar da infertilidade administrativa frutos de boas qualidades”.

Tudo se resume numa condição de que o governo não consegue melhorar o ambiente de negócios agravado, principalmente,  pelos excessivos gastos de má qualidade, que a população não consegue mensurar as conseqüências, faltam medidas neste sentido, que deveria continuar a desonerar o Estado  que a nossa Carta Magna produziu um monstrengo pesado  a maquina administrativa do governo, pesada como um elefante extremamente gordo. O Plano Real emagreceu um pouco o animal e ele conseguiu dar alguns passos na primeira década deste século, mas o que se via durante o governo Lula foi uma realimentação do monstrengo e agora novamente ele voltou a ficar pesado, move-se lentamente.

Então, se eu disser que estamos caminhando para o caos, não estou apostando contra ninguém, porque isso é matemático, não é por emoção que vou fazer, ou desfazer o resultado de 2 + 2 = 4, assim é a economia.

Essa engorda foi apontada por poucos economistas como gastos excessivos do governo, enquanto o problema não se trata só do montante, mas, principalmente, da má qualidade dos gastos. Vamos exemplificar: Uma pessoa que se endividou para montar um bom negócio e a outra se endividou com investimentos temerários, poucos investimentos de qualidade, viagens e compras, o Brasil é a segunda pessoa, por isso a precária infra-estrutura do país não permite crescimento sustentável acima de 2% ao ano.  

Dilma e o PT possuem grandes limitações, por compromissos ideológicos ou por não quererem pisar no gramado do desgaste político, para o procedimento desse enxugamento. No momento, Dilma tenta segurar através das privatizações, que ideologicamente já é um desgaste pois sempre utilizaram como arma de desconstrução do governo anterior, e por quererem  ser diferentes ainda não acertaram na execução, e maquina pública além de pesada é ineficiente, por outro lado o governo continua ampliando os gastos de péssima qualidade.

Quando falo da ineficiência da maquina pública não me refiro aos funcionários, que, claro, não deixa de ter muitos desqualificados, e as vezes excessivamente, no entanto, possuem profissionais bons, o que torna ineficiente é a lentidão para executar obras, por exemplo, que na tentativa de evitar corrupção o processo se torna extremamente burocrático com normas e leis paralisantes e, que não conseguem o objetivo. A corrupção se agravou. Quem pode me dizer: qual o filho de ex-presidente que enriqueceu enquanto o pai era gestor?  Nesses casos ocorre uma sugestibilidade negativa do patamar superior para baixo. Imaginem se o filho de Fernando Henrique Cardoso tivesse sido acusado de receber depósitos milionários de concessionárias do governo, com certeza a casa teria caído.  Constatamos cada vez mais estradas rodoviárias, ferrovias, e outras obras mal concluídas a custos exorbitantes.  Dessa forma, a lentidão soma-se ao desinteresse de melhorar os gastos a conseqüência é a contaminação de toda a rede de variantes necessárias para colocar o país no rumo certo. Muitos gastos fora do foco do interesse público e ausente de bons resultados.

A escola de economia que Dilma freqüentou não lhe esclareceu que quando o dólar sobe faz um estrago na economia, e quando desce faz outro estrago. Há pouco tempo atrás o problema da economia brasileira era o cambio, fizeram esforços para que o real desvalorizasse, quando foram perceber que estavam provocando inflação, aí a ordem foi para retroceder. Os juros altos estagnavam a economia, medidas para derrubar os juros, mas não se preocuparam com a base para sustentabilidade dessa medida que seria qualificar os gastos do governo, agora, novamente, acham necessário subir juros. Não vai solucionar, pelo contrário, deverá agravar porque a dívida pública ficará mais cara, ampliará gastos de péssima qualidade.

Um agravante é uma considerável parte da mídia que não quer tocar na ferida com medo do governo sentir a dor e reagir nos contratos de publicidade, não se preocupa em deixar a população mal informada e jogada a sorte do dia em que será surpreendida, semelhante à Grécia que em 2007 dormiu bem, rica, baixo índice de desemprego, feliz e amanheceu 2008 quebrada. 

domingo, 31 de março de 2013

AUTORITARISMO DA VERDADE

Assistimos nos últimos meses protestos que em sua maioria tem procedência, no entanto, em várias oportunidades o silencio é a resposta para malfeitos que envolvem os políticos pertencentes ao PT, são inúmeros esses momentos ocorridos nos últimos tempos e, os de sempre, constituídos por militantes de “esquerda” quem escolhem a quem protestar.

Protestam contra Renan Calheiros por assumir a presidência do senado, mas se calam quando o mensaleiro Genuíno condenado assume uma cadeira na Câmara dos Deputados.

Protestam contra o deputado Feliciano Por assumir a Comissão de Direitos Humanos, mas se calam na indicação de João Paulo Cunha e José Genuíno, ambos condenados, para a Comissão de Constituição e Justiça.

Sem justificativa racional protestaram contra a blogueira cubana Yoani Shánchez em sua visita pelo Brasil.

Silenciosos diante da acusação de que Lula vende palestra, faz lobby, viaja em jatinhos de empreiteiras que prestam serviço para o governo. Não justifica dizer que ele está fora do governo, pois Lula é mais que um estribeiro-mor ou um condestável, senão a primeira, é certamente a segunda pessoa mais poderosa da república brasileira, exerce mando em muitos ministros, inclusive lhes dar aconselhamentos. Como bem disse a revista Veja, por Daniel Pereira: “É inegável que Lula no poder sempre demonstrou prazer em fazer aquilo que a Constituição, as leis, a liturgia do cargo e o bom senso proibiam. Fora do poder, ele continua transgredindo”. Só vejo perdão e uma autorização explicita de que pode permanecer nesse comportamento que não será incomodado por esses manifestantes, ao contrário quando esse mau exemplo é questionado por setores da justiça o movimento sempre é de apoio só porque ele representa a garantia de meia dúzia de intoxicados de ódio por grupos políticos que julgam imundos por serem acusados de corrupção e responsáveis pela miséria, ou por falta de ética, e os atuais formadores de miseráveis e corruptos companheiros que exalam os mesmos odores, talvez, com mais intensidade. Distribuição de dinheiro não elimina a miséria, consolida o “status”, serve de manipulação da opinião popular.

Por que são merecedores de complacência? É um comportamento perigoso para a democracia porque foge do princípio da igualdade e o surgimento do autoritarismo da verdade, quando ela passa a ser ditada segundo dogmas ideológicos.

quinta-feira, 28 de março de 2013

MUDANÇA ANTES QUE TARDIA


A frase, em latim, escrita na bandeira mineira: libertas quae sera tamen, que significa Liberdade antes que tardia, sempre deveria ser lembrada com mais frequência, uma referencia, também, a mudanças antes que tardia, que carece de determinações que a vida exige no sentido de alcançar objetivos, então, para se obter o sucesso temos que vislumbrar quem consegue êxito, no sentido contrario o fracasso é inevitável.

O Brasil sofre do mal de não conseguir se livrar de consensos formados equivocadamente onde, sempre, damos atenção às experiências de países fracassados, enquanto condenamos a metodologia de sucesso em poucos países, isso acontece porque a maioria dos intelectuais brasileiros, acreditam que a permanência desses raciocínios um determinado momento se tornará verdadeiro, ou talvez porque o país não precise dar certo.
No blog do Caio Hostilio ele falou o seguinte
:
“Pois não é que Eduardo Campos passou um litro de óleo de peroba na cara de pau e disparou que Serra lutou pela redemocratização desse país e até foi bom para a economia? Lutou aonde, cara pálida? Antes não fez nada e durante a redemocratização, isso ele ainda no PMDB, era uma figurinha bem apagadinha. Quanto a parte econômica ele se destacou ao vender o país para o capital estrangeiro e ficou super conhecido quando da máfia dos sanguessugas!!!”
Ele se refere a José Serra como um nefasto que vendeu  o país para  capital estrangeiro. Prossegue mais adiante:
“Eu sinceramente não sabia que o PSB algum dia foi favorável as privatizações canalhas feitas pelos tucanos, que se Sergio Motta estivesse vivo levaria todos para cadeia!!!”
Está claro que o blogueiro condena as privatizações, certamente porque não atentou no que houve de errado no desempenho da nossa economia que culminou na hiperinflação dos anos oitenta que se estendeu até a segunda metade dos anos noventa.
Serra é acusado de ser o mentor da privatização da Vale do Rio Doce que tem sido um componente no equilíbrio da balança comercial brasileira. 
No caso de Caio que mora numa cidade que se desenvolve, apesar de Sarney, São Luis,  ele ainda não percebeu que sua cidade foi beneficiada por essa concessão, como preferem os petistas falar, ou talvez acredite que o governo teria capacidade de gerir a exportação desse volume de minério de ferro  que faz diferença nas contas externas, que esse governo tivesse o mínimo de competência para de criar toda a logística na ampliação de um porto (Porto da Madeira) na velocidade necessária que possibilita o país ser o grande exportador de minério de ferro. Não percebe que o governo Federal não dá importância devida a esse potencial que é o porto do Itaqui, pelo calado que possui (chegando até 23m de profundidade). Quanto tempo o governo federal leva para construir um píer no Itaqui? A Vale, na iniciativa privada, constrói com mais rapidez no porto da Madeira.
Será que pessoas como Caio não percebem que o que deu certo neste país, foram as privatizações, seja tucana, do Itamar, ou do Collor. Se houve irregularidades no processo, já houve tempo suficiente para o governo seguinte apontar e não ficar no subjetivo, que privatizar está sendo uma tabua de salvação deste governo.
A exemplo da Vale, se a Petrobras tivesse sido privatizada, a refinaria do Maranhão já  estaria funcionando e não cancelada após um gasto de mais de R$ 1,5 bilhão em serviços de terraplenagem. Esse governo se enquadra muito bem no que disse o economista americano  Milton Friedman, no passado se referindo ao Brasil, (1912-2006) “Se puserem o governo federal para administrar o Deserto do Saara, em cinco anos faltará areia”.
As mazelas e os equívocos vêm de muito longe, o problema são às dificuldades de mudança e quando surgem as possibilidades, mesmo movidas pelas circunstâncias, não faltam os pensamentos tendenciosos para confundir a opinião popular.

O MILAGRE DE SÃO JOSÉ DE RIBAMAR



O êxito de um gestor público nem sempre é a realidade, mas o que pode transparecer, e neste caso a eficiência é por conta do trabalho de marketing.

Situada na Ilha de São Luis MA, a pequena cidade de uma extensa área territorial limita-se com a capital, que, em decorrência do crescimento acelerado, invadiu as áreas vizinha tornando São José de Ribamar a terceira população do Estado com ameaças de se tornar a segunda  em breve, consequentemente se tornou a terceira arrecadação de IPTU, passando a arrecadar de uma extensa área e aplicar numa restrita, isto é, na sede do município, dessa forma se pode obrar maravilhas, mostrando somente a região beneficiada.

Vamos apresentar a situação em outras partes do município que, normalmente, só é considerada para efeito de arrecadação:

São José de Ribamar - MA

Onde deveria ser uma avenida (Arthur de Carvalho) é um lamaçal e buraqueira sem limites


Os gestores não atentaram para o intenso trafego de veículos


Nem mesmo os condomínios sensibilizam as autoridades


Loteamento Araçagi que para o município só serve de fonte de arrecadação, um terreno sem construção é cobrado de IPTU no mínimo R$ 102,00, sem distribuição de água, deveria ter isenção.





domingo, 24 de março de 2013

O CUSTO DA IMENSA POPULARIDADE DA PRESIDENTE



Diz o ditado popular, que se conselho valesse alguma coisa não se dava se vendia. A nossa presidente, no seu primeiro ano de governo, andou dando conselhos por aí, pela Europa e pelos EUA de como turbinar a economia, engraçado que ela não consegue fazer o mesmo no país que governa, tanto que crescemos menos que os EUA no ano passado, com uma diferença bem significante. É aquela história de que todo mundo tem na ponta da língua a solução dos problemas do próximo, só não tem a solução de seus próprios problemas. Depois de ter se convertido ao cristianismo, se empolgou bastante com a eleição do novo Papa correu para o Vaticano com uma extensa e onerosa comitiva para dar conselhos ao Papa. Na sua primeira entrevista falou que iria aconselhar o santo pontífice de como acabar com a fome no mundo, pois o Brasil estava com essa “tecnologia”, mas depois não falou mais dessa forma, acredito que deram-lhe outro conselho de não apresentar essa tecnologia porque correria o risco do Papa responder: Também temos uma mais eficiente que a vossa, a multiplicação dos pães e dos peixes deixado por Jesus Cristo.

É perceptível que para Dilma o país deslanchar no desenvolvimento econômico não é o importante, e o objetivo e seu sucesso está em manter uma popularidade alta e crescente, e a consolidação da sua reeleição. As últimas pesquisas demonstram que a presidente é um triunfo e que seu governo é um verdadeiro êxito.

Este raciocínio está explicito em suas ações. O seu governo toma medidas para que o enfermo não morra, mas não consegue ações que possibilite a cura. Lógico, pois uma vez morto em suas mãos a reeleição segue o enterro. Ela não se importa com a série de problemas que ameaçam o país e com os erros grosseiros que consegue dissimular diante de uma população que o Estado nega a devida educação para conviver com a democracia. Não me refiro só às pessoas de pouca escolaridade, pois com a nossa educação alienante a maioria dos ditos “nível superior” são verdadeiros imbecis no que concerne a política. Conhecimento politico não é uma opção é um dever da grande maioria de patriotas que se emocionam com o hino nacional.  De que vale essa emoção que faz parte do jogo utilizado pelos tiranos para envolver seus súditos em seus propósitos de poder. Quando dá errado é fácil culpar o exterior. Tomar conhecimento das atitudes que devem seguir os governantes, para sairmos da eterna condição de emergente é um dever que deveria ser incorporação na educação e não submeter os estudantes a deriva da influencias ideológicas ultrapassadas como é muito presente em nossas universidades.



Saiu a noticia de que a China cancelou compra de soja do Brasil por causa da demora na entrega, os exportadores têm problemas com a morosidade dos portos. Dilma investe quase U$ 1,00 bilhão no porto de Mariel em Cuba, por amor ao regime, e deixa de fazer píer nos portos brasileiros, o que se vê as grandes fileiras de navios em São Luis, Santos, Paranaguá etc. Demoraram com a decisão de privatizar os portos.

Nossas contas internas não estão bem, ao contrário às contas externas, que só estão saneadas graças a exportação de commodities
.
Estamos cada vez mais importando gasolina por falta de refinaria que há oito anos o governo petista manifesta intenções de construir. Iniciaram duas refinarias uma em Pernambuco outra no Maranhão, agora veio a decisão de paralisação temporária com justificativas de que não são necessárias, como não? Se importamos do produto é porque nos falta. Será que a verdadeira razão não decorre do principio de sucateamento da empresa pelos  maus negócios que beiram à irresponsabilidade.

Na conclusão da ferrovia Norte-Sul se descobre que está mal feita e que pode desencarrilhar os trens.

A transposição do rio São Francisco, esperança de muitos nordestinos, depois de tanto dinheiro desperdiçado a sua conclusão é uma incógnita.

Muitas casas do PAC inundadas e com paredes rachadas, que deveria solucionar o problema de moradia das vitimas da enchentes. Blocos de apartamentos do PAC desabando antes do término da obra
.
A dificuldade de concluir obras necessárias para a evolução da economia brasileira como a hidrelétrica de Belo Monte.

Um governo que não consegue cumprir orçamento.

Não precisa acrescentar que as obrigações constitucionais de saúde e educação não melhoram e de segurança pioram.

Os escândalos de corrupção que o partido tenta sufocar, e a queda na qualidade da classe política fomentada pela luta de perpetuação de poder 

A inflação que sai do controle.

O que pode custar essa imensa popularidade da presidente?

Além da trucagem de fazer anúncios bons, aos olhos da população, no inicio das pesquisas de popularidade, a inexistência de oposição ao governo para mostrar esse elenco de erros ao eleitor, a distribuição de dinheiro é, sem dúvida, a grande operação de transformação de fracasso em sucesso, que a população resiste em perceber, vai nos custar o estrangulamento de uma oportunidade de desenvolvimento econômico proporcionado no Plano Real, que esse partido governista tanto fez para boicotar em sua arquitetura, mas que, no poder, estão conseguindo prejudicar com a cumplicidade da população, por desconhecer parâmetros de uma analise correta que qualifica um bom governante.

Acesso a pagina principal    

quarta-feira, 20 de março de 2013

SANTA IGENUIDADE



Se tratando de otários a história que temos a narrar poderia ser exequível, mas de pessoas que demonstram tanta esperteza, como os petistas deixam, no ar, no mínimo algo suspeito, ou, então, são mesmo incompetentes.

Os belgas, em 2005, compram, nos EUA, uma refinaria a Pasadena Refining System pelo valor de U$ 42,50 milhões de dólares.

Por esse valor, certamente, se tratava de uma refinaria imprestável, deveria constar o valor do terreno e a sucata.

No entanto, a Petrobras, achou conveniente comprar a metade, ou seja os U$ 21,25 milhões, por U$ 360,00 milhões.

Esse negócio feito no governo daquele presidente que criticou a compra de navios, pela Petrobras, no exterior como se o Brasil tivesse estaleiros e tecnologia para construção ou a empresa pudesse paralisar seu desempenho na produção e transporte de petróleo.

A história continua porque se a Petrobras tivesse abandonado o negócio estaria no lucro, vejamos por que.

Houve um desentendimento com os belgas e a Petrobras propôs comprar os 50% do sócio, que ficou acertado por U$ 700,00 milhões, mas desistiu, então, os belgas foram para a justiça ganharam a causa, e a estatal teve que pagar pela outra metade (U$ 21,25 milhões) o valor de U$ 839,00 milhões, um montante total de U$ 1.199,00 milhões pelo destroço, e fizeram os belgas transformar U$ 42,500 milhões em U$ 1.199,00.

Não sabemos quanto a Petrobras gastou para tentar colocar a refinaria para funcionar, que não funcionou. Só, então, foram descobrir que a refinaria era obsoleta e não servia para refino do petróleo brasileiro.

Tentaram se livrar do problema, porém, não botaram preço e o valor máximo oferecido foi de U$ 180,00, talvez a sucateira Maria do Carmo tenha se interessado.

Neste momento tenho muita saudade do PT na oposição, que não mediriam palavras para explorar o assunto como ele merece, diriam que esse negócio da China para os belgas fora realizado por gestores corruptos, e certamente sob vultosos pagamento de propina, de no mínimo alguns milhões de dólares com depósitos em bancos nos paraísos fiscais, mas, neste caso por falta de provas, temos que acreditar que foi uma mera santa ingenuidade.